—19 Aug 2009
quando o amor vem bater a porta

e um sopro imprime regra
na desordem dos dias

um governo de fogo fatuo

e lucido limpido luxo

//sanguineo quente animal.

enquanto pelos canais do mundo

vai a navegar

debrucado sobre mapas, arrancando estrelas ao manto da noite

o viajante, fitando o horizonte

atravessando as veias abertas deste pais

outro
/talvez/
pudesse

eu nao.

//Londres, 2009-08-19.//
Bookmark and Share